Chico Whitaker
   
 
Estantes
Chico Whitaker?
What are these shelves?
Fighting corruption
Human Rights
Popular education, mobilization and organization
World Social Forum
Political initatives
International Study Days - Overcoming Dominations
Books and articles
In the São Paulo Municipal Council
In the Church
In the Worker's Party
Novos movimentos sociais (indignados, occupy)
Popular Participation
little reflections
Planning
Por um Brasil livre de usinas nucleares
Networks
Polítical Reform
Videos
X - Articles quoted in my texts
Ordem Alfabética
Por um Brasil livre de usinas nucleares
 
2015-01-05 - Why to oppose to nuclear plants?
 

only in portuguese

   
2014-12-22 - Report on visit to Fukushima
 

only in portuguese

   
2014-07-16 - Chico Whitaker: Energia para que, para quem e como?
 

Folha de S.Paulo

Chico Whitaker: Energia para que, para quem e como?

16/07/2014   02h00
Algo inusitado está para ocorrer em Brasília: um fórum social temático inserido no processo do Fórum Social Mundial, que aponta que outro mundo é possível.

Durante quatro dias, de 7 a 10 de agosto, a Universidade de Brasília acolherá encontros dos mais diversos sobre a questão da energia. Autônomo em relação a governos e partidos e organizado pela sociedade civil, o evento será constituído de baixo para cima: as atividades serão preparadas pelos movimentos sociais que questionam a matriz energética brasileira.

O tema é oportuno e urgente, sobretudo frente à insanidade de muito do que se faz em nosso país para se obter energia. Ao mesmo tempo em que o governo aumenta nossas contas de eletricidade, também constrói grandes barragens –"as maiores do mundo"–, que inundam extensos territórios da Amazônia e destroem sua biodiversidade, além de expulsar ribeirinhos, pescadores e indígenas de suas moradas. O governo investe em usinas movidas à carvão e petróleo, que contribuem para o efeito estufa e o consequente aquecimento global. Ameaça construir mais usinas nucleares, com seus riscos de acidentes e seu lixo radioativo legado às futuras gerações e destina grandes extensões de terra –que deixam de servir à lavoura de alimentos– para produzir etanol para carros paralisados nos congestionamentos de nossas cidades.

Mesmo quando o governo e o setor privado querem inovar, é ruim o modo como as coisas são feitas. Empresas implantam parques eólicos que desrespeitam impunemente os direitos daqueles que seus tratores encontram pela frente. Quando finalizam as construções, não raro deixam suas hélices girando sem que a eletricidade produzida seja conectada em algum sistema de distribuição. E há o pré-sal, apresentado como bem-vinda fonte de recursos, que contribuirá significativamente para a continuidade do modelo já condenado de queima de combustível fóssil. Por fim, desperdiça-se dinheiro em grandes obras destinadas ao atendimento prioritário das necessidades energéticas de empresas nacionais e internacionais de mineração.

Enquanto isso, no resto do mundo, já se busca uma transição para matrizes de produção descentralizadas de energia e o pleno uso de fontes renováveis como o sol, o vento e as marés. E ganha cada vez mais espaço a preocupação com a eficiência energética, que diminui o desperdício.

Está na hora de a sociedade civil mostrar aos tecnocratas do governo e às empresas que cometem cada vez mais crimes ambientais e sociais que é preciso questionar seriamente: energia para que, para quem e como?

O momento é mais do que oportuno: no intervalo entre o fim da Copa do Mundo e o início oficial da campanha eleitoral. Os candidatos precisam se posicionar em relação ao tema e abrir um processo responsável de discussão.

Mais de 30 entidades e movimentos sociais promovem esse grande encontro. No site do Fórum Social Temático - Energia, é possível obter informações e inscrever atividades. No encerramento do encontro, os participantes poderão comunicar à população de Brasília os resultados dos debates e realizar uma feira com as muitas iniciativas de produção descentralizada de energia que acontecem no Brasil. Um domingo que será marcado pela esperança de que entremos, pelo impulso da sociedade civil, em uma nova etapa no enfrentamento da questão energética em nosso país.

CHICO WHITAKER, 83, é membro da Comissão Brasileira Justiça e Paz e da Coalizão por um Brasil Livre de Usinas Nucleares

 

   
2014-07-16 - INVITATION – Thematic Social Forum on Energy
 

http://fst-energia.org/en/highlights/carta-convite/

INVITATION – Thematic Social Forum on Energy

Dear friends,

We are pleased to invite your organization / network / movement to participate in the Thematic Social Forum on Energy (TSF – Energy) an international event associated with the World Social Forum to be held in Brasilia, Brazil, from August 7 – 10, 2014. The general theme of the forum will be “Energy: for What, for Whom and How?”

In Brazil and throughout the world, there is a need for a broad and urgent discussion on current matrixes of energy production – focusing on hydroelectric dams, thermoelectric power, nuclear energy and fossil fuels – and their alternatives, especially energy efficiency and decentralized renewables that are ecologically and socially sustainable, such as solar and wind power.

The theme of this forum is closely linked to struggles to confront climate change that is generating suffering and death for an increasing number of people around the world. This includes the urgent need for strong international commitments that must advance at the COP 20 in Lima, Peru in December 2014.

The methodology of this event will be the same as the World Social Forum (WSF); one that seeks to strengthen ties between social movements struggling for new forms of coexistence between people and nature, from the perspective of social and environmental justice. One of its main dimensions of this approach is the decentralization of power, within the same logic of decentralization for the production and use of energy, valuing resources available in each location and the active involvement of families, communities and peoples.

According to the WSF’s practice, the activities of the thematic forum will be self-organized by participants, who will define the topics, logistical needs for venues and scheduling, as well as other methodological questions. The responsibilities of a collective established for facilitating the Forum will be focused on ensuring logistical support for activities, without interfering in their implementation, giving equal importance to all.

The TSF- Energy will respect the Charter of Principles of the World Social Forum, which defines events as initiatives of civil society, with autonomy in relation to governments, corporations and political parties. As part of the WSF process in 2014, the TSF-Energy will be one of more than 40 social forums in various countries at the national, regional and thematic level.

To participate and find out more about the TSF-Energy, please write to: fst.energia@gmail.com.

The following organizations are launching this initiative in Brazil:

- Amazon Watch
- Brazilian Antinuclear Coalition
- Caritas Brasileira
- Cidade Verde - Federal University of Brasilia
- CIMI – Indigenous Missionary Council
- Brazilian Commission for Justice and Peace
- Committee in Defense of Territories affected by Mining
- Pastoral Council of Fishermen
- Forum on Climate Change and Social Justice
- IBASE
- International Rivers
- World March for Climate
- Small Farmers Movement
- Movement Paulo Jackson
- Tapajós Alive Movement
- Xingu Forever Alive Movement
- Social Pastorals of the National Council of Brazilian Bishops
- Environmental Secretariat of the Central Unified Workers – CUT
- Jubileu Sul Network in Brazil
- SOS Clima Terra

   
2014-07-10 - Chico Whitaker - Agentes de Cidadania
 

Publicado em 10/07/2014

Depoimento do arquiteto Chico Whitaker para o programa Agentes de Cidadania da Voz do Cidadão sobre a importância de uma maior transparência do poder público sobre os riscos reais das usinas nucleares

 

   
2013-11-27 - Intervenção na Audiência Publica do Senado sobre o nuclear
 

Chico Whitaker, ativista da Coalizão por um Brasil livre de usinas nucleares, defende a proibição de usinas nucleares e a desativação das já existentes e fala dos riscos desse tipo de tecnologia.

Chico participou dia 27/11/2013 da audiência da Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado, que discutiu o projeto de lei do senador Cristóvam Buarque pela suspensão da construção de novas usinas num prazo de 30 anos no Brasil.

 

   
 
Artigos 1 a 6 de 6